A equipa da ADDHU, composta pela Presidente da ADDHU (Laura Vasconcellos) e pela Coordenadora do Projecto Quénia (Carolina Vasconcellos), voltou a deslocar-se ao Quénia entre os dias 11 de Março e 12 de Abril de 2012 para mais uma missão no terreno.

 

Para além do tão esperado reencontro com as crianças do Wanalea Children’s Home, foram também desenvolvidas outras iniciativas, nomeadamente distribuições de bens alimentares e de Dádivas de Esperança nos bairros de lata de Nairobi, o lançamento de um programa de microcrédito e a realização de um workshop sobre os direitos das crianças no bairro de lata do Soweto. Esta missão ao Quénia teve como principal objectivo a avaliação dos projectos da ADDHU no Quénia, nomeadamente o Centro de Acolhimento Wanalea, o programa de apadrinhamento Wanalea, o programa alimentar escolar do Soweto e o programa de voluntariado internacional.




Durante esta missão ao Quénia, a equipa da ADDHU contou com a ajuda dos voluntários José Manuel Costa e Maria João Henriques, que já se encontra em missão no Quénia há 8 meses, bem como a voluntária Barbara Pereira, que chegou ao Quénia no inicio do mês de Abril para realizar uma missão de um ano.


 

I. Wanalea Children’s Home

Como já é habitual, o reencontro com as crianças do Centro Wanalea foi um momento de grande emoção e alegria. Nunca deixa de nos surpreender como estas crianças, que nada tinham, são agora tão felizes. Durante o tempo que passámos com elas, tivemos a oportunidade de avaliar os seus progressos e de verificar que todas se encontram bem e saudáveis. E voltaram a brilhar nos exames da escola, o que nos deixa sempre cheios de orgulho!


  
  

No dia 14 de Março, festejámos o aniversário do John, que fez 9 anos de idade. Os festejos incluíram um almoço especial confeccionado pela Mummy Laura seguido de um pequeno lanche com bolo e sumos, organizado pelos voluntários da ADDHU. Sendo o John um menino muito sociável e popular, contámos com a presença de vários amigos da escola que adoraram passar a tarde com a família Wanalea. Claro que o couscous marroquino da Mummy Laura fez as delicias das crianças, que pediram para repetir várias vezes.


  

Durante esta missão, contámos com a ajuda e o apoio de um médico dentista português, Dr. André Mariz de Almeida, que se deslocou ao Quénia por um período de 2 semanas de forma a proporcionar alguns cuidados dentários às crianças do WCH e estabelecer parcerias com clínicas dentárias para futuros projectos e sobretudo para um apoio mais continuo às crianças do WCH. Foram realizados diversos tratamentos, entre os quais tratamento de cáries, desvitalizações e limpezas de dentes. O André também levou a cabo algumas acções de prevenção, ensinando as crianças a lavar os dentes e mostrando-lhes como a higiene oral pode ser divertida! Obrigada André por teres posto um sorriso na cara destas crianças, e sobretudo por teres realizado o sonho da Dorcas, que há já 3 anos nos pedia para tratar as manchas que tinha nos dentes... Ao ver-se ao espelho, a emoção da Dorcas foi tal que a menina nem conseguiu falar: apenas sorriu como nunca tinha sorrido antes...




As crianças entraram de férias no dia 4 de Abril de 2012, após terem concluído os exames escolares com muito sucesso. No inicio do ano escolar, em Janeiro de 2012, algumas crianças ressentiram algumas dificuldades, nomeadamente em matemática e ciências, o que as levou a baixarem as notas e houve mesmo algumas negativas. Porém, com a ajuda dos voluntários da ADDHU, que desde logo se disponibilizaram para dar explicações às crianças com maiores dificuldades, todos aumentaram as notas nos exames de Março, tendo mesmo havido crianças que passaram de 40% para 87% a matemática! A ADDHU gostaria de felicitar os voluntários pelo excelente trabalho que realizaram em termos de apoio escolar e agradecer o seu empenho e dedicação à educação destas crianças.



  

No dia 8 de Abril, festejámos a Páscoa com um almoço especial: hambúrgueres e salsichas no churrasco com batatas fritas, e gelado à sobremesa. Depois do almoço, escondemos os ovos de chocolate do jardim para que as crianças os pudessem procurar. Apesar de não ser tradição no Quénia, as crianças adoram procurar os ovos de chocolate: é sempre um momento de grande alegria, e de grandes correrias e brincadeiras pelo jardim.



  

A equipa da ADDHU gostaria de agradecer aos padrinhos das crianças do Centro Wanalea pelas embalagens de vitamina C que nos doaram. As crianças já estão a fazer o tratamento de vitamina C e nota-se uma clara melhoria do seu sistema imunitário, sobretudo numa altura em que o tempo começa a arrefecer em Nairobi. A equipa da ADDHU gostaria também de agradecer à Câmara Municipal de Grândola pelos pensos higiénicos doados às raparigas do Wanalea Children’s Home.


   

 

II. Bairro de lata de Kitui Ndogo - Majengo

A equipa da ADDHU voltou a deslocar-se ao bairro de lata Kitui Ndogo-Majengo onde trabalha em parceria com a organização queniana FOC, que dá apoio escolar a cerca de 70 crianças. Entre estas 70 crianças, 6 são apoiadas pela ADDHU através do programa de apadrinhamento Wanalea.




Durante as visitas realizadas, a equipa de ADDHU verificou que as crianças estão felizes, bem alimentadas e bem de saúde. Foram todas medidas e pesadas, e foi realizado o trabalho de monitorização que nos permitiu avaliar a situação e os progressos das crianças apadrinhadas. A equipa da ADDHU também entregou as cartas e prendas enviadas pelos padrinhos das crianças. Dentro das 70 crianças apoiadas pela FOC, houve que lamentar a morte de Jamil Otieno, um menino de 6 anos que acabou por não resistir ao HIV/SIDA por ter uma alimentação deficiente.


    

 

III. A ADDHU no bairro de lata do Soweto

Os projectos da ADDHU no bairro de lata do Soweto continuam estáveis, apesar de não ter sido possível ainda assegurar um financiamento regular para o Programa Alimentar Escolar. No entanto, não existem dúvidas em relação aos impactos que o trabalho da ADDHU, em parceria com a God’s Vision for Africa, tem tido neste bairro de lata.


  

Apesar de apenas duas crianças terem sido apadrinhadas através do programa Wanalea, muitas outras já beneficiaram bastante das Dádivas de Esperança, nomeadamente em termos de bens alimentares, cobertores, material escolar e pensos higiénicos. O Programa Alimentar Escolar, que foi iniciado em Maio de 2011, tem sido responsável pela única refeição diária de mais de 500 crianças e as distribuições de bens alimentares têm ajudado mais de 400 famílias a sobreviver durante um momento difícil de crise alimentar no Quénia. Segundo o director da GVA, Calvin Masitsa, estes programas de ajuda alimentar são a melhor forma de responder às necessidades mais básicas e imediatas destas crianças e famílias, e o melhor meio de ajudar na luta contra a fome.


  

A equipa da ADDHU deslocou-se várias vezes a este bairro de lata para proceder à monitorização e avaliação dos projectos implementados. Aproveitámos as nossas visitas para entregar Dádivas de Esperança, nomeadamente 19 cobertores e 120 litros de leite, e para visitar as duas crianças apoiadas através do programa de apadrinhamento Wanalea: a Sylvia e o Abedneco. E foi com muita alegria que verificámos que ambos se encontram bem e saudáveis, e têm tido uma excelente performance escolar.


  
  

O School Feeding Program ou Programa Alimentar Escolar continua a ser implementado e abrange neste momento 550 crianças de 3 escolas da zona de Kayole-Soweto (Charity Student’s Centre, Cityshine School e Lisanga Community School). Este programa é, para alem do Wanalea Children’s Home, uma das prioridades da ADDHU: muitas crianças contam apenas com esta refeição que recebem na escola...


  



Durante esta missão, a equipa da ADDHU teve a oportunidade de visitar uma escola que vai integrar o Programa Alimentar Escolar a partir de Maio de 2012. O Charity Student’s Centre situa-se em Kayole e recebe muitos refugiados da Somália e do Sudão. Tem cerca de 70 alunos, proporcionando-lhes educação pré-primária e primária. A equipa da ADDHU aproveitou para falar com alguns dos alunos refugiados que nos relataram histórias de vida bastante duras, nomeadamente um jovem de 15 anos chamado Tito, refugiado do Sudão, que se viu obrigado a fugir do seu pais com um tio, tendo os seus pais sido assassinados, passou por muitas dificuldades no campo de refugiados de Kakuma antes de chegar a Nairobi... Esta escola não recebe qualquer tipo de apoios nem por parte do governo, nem de outras instituições. Sobrevive apenas com alguns donativos da comunidade local e as propinas dos alunos que as conseguem pagar. Apesar das instalações e das infra-estruturas até serem razoáveis, os responsáveis têm muitas dificuldades em pagar a renda e os salários dos 7 professores que empregam. Para além disso, existe também aqui uma questão de direitos humanos: estes alunos, por serem refugiados, são muitas vezes discriminados sendo-lhes então negado o acesso à educação.



  

No dia 28 de Março, a equipa da ADDHU realizou uma distribuição de bens alimentares (arroz e farinha de chapati) no bairro de lata do Soweto. No total, foram distribuídos 700 kg de comida a cerca de 300 famílias, com fundos em grande parte angariados através da Dádiva do Mês de Março. No dia 5 de Abril, entregámos 10 kg de farinha de ugali, 10 litros de óleo alimentar, 6 kg de farinha de chapati, 4 kg de papas de cereais, 8 kg de arroz, 7 kg de feijão, sal, açúcar, chá e sabão para lavar a roupa à familia de Elizabeth Mtuko, jovem de 23 anos e mãe de 3 filhos. A ADDHU gostaria de agradecer aos alunos da escola secundária da Lixa pelo seu apoio e por terem angariado os fundos necessários para esta entrega de comida. Obrigada por terem dado esperança à família da Elizabeth!


  

No dia 20 de Março, a ADDHU atribuiu o primeiro microcrédito no bairro de lata do Soweto. A beneficiária chama-se Christine Mary, é casada e mãe de duas filhas pequenas que frequentam o ensino primário. O seu marido é motorista. A Christine tem formação em costura e já em Março de 2011 havia pedido assistência à ADDHU para adquirir uma máquina de costura e iniciar um pequeno negócio que a ajudasse a sustentar a sua família.




Após a assinatura do contrato, a equipa da ADDHU acompanhou a Christine ao centro de Nairobi para que pudesse adquirir a máquina e os materiais necessários. Estava visivelmente feliz, e nós também, pois a Christine tem agora uma oportunidade única para quebrar o ciclo de pobreza e garantir um futuro de esperança para ela e a sua família!




No âmbito da sua missão de defesa dos direitos humanos, a equipa da ADDHU realizou, no dia 7 de Abril, um workshop sobre a importância dos certificados de nascimento e os direitos das crianças na escola secundária Cityshine no bairro de lata do Soweto. Nele participaram, para além dos pais das crianças deste bairro de lata (22 no total, sendo a maioria mulheres), o director das escolas Cityshine Mr. Musimi, e as voluntárias da ADDHU Cristina De Luca e Barbara Pereira. O workshop foi conduzido pelo director do Centro Wanalea, Robert Ongera, e pelo presidente da GVA, Calvin Masitsa, com o apoio da coordenadora de projecto da ADDHU, Carolina Vasconcellos, e da presidente da ADDHU Laura Vasconcellos.


  

O principal objectivo deste workshop foi sensibilizar os pais dos alunos que frequentam as escolas Cityshine do bairro de lata do Soweto para a importância de registarem os seus filhos como forma de garantirem os seus direitos mais básicos e de os protegerem contra o tráfico infantil e outras violações e abusos. Também se pretendeu informar e explicar aos pais os procedimentos que devem seguir para obter um certificado de nascimento, alertando-os para a importância de registarem os filhos nos primeiros 6 meses de vida.

Os pais das crianças mostraram-se sempre muito interessados e participativos, e tiveram a oportunidade de falar abertamente sobre os seus problemas e necessidades mais urgentes.

O programa de ensino de português continua a ser um programa de sucesso, e abrange agora os alunos do Charity Student’s Centre. No total, estão inscritos cerca de 80 alunos nas aulas de português: 26 na escola primária Cityshine, 36 na escola secundária Cityshine e 20 no Charity Student’s Centre. A sua performance e o seu interesse pela aprendizagem da língua e cultura portuguesas tem ultrapassado todas as nossas expectativas. A voluntária Maria João está realmente de parabéns, pois sem o seu empenho, dedicação e profissionalismo, nada disto seria possível.


  

Desde Dezembro de 2011 que os voluntários da ADDHU têm vindo a realizar algumas actividades no bairro de lata do Soweto, para além das aulas de português. Em Janeiro de 2012, a voluntária Marta Sofia Pinto lançou um programa de educação cívica e ambiental no bairro de lata do Soweto a que decidiu chamar “Garbage Busters”. Os alunos das escolas Cityshine aderiram desde logo ao projecto e foram realizadas, até agora, 4 recolhas de lixo no Soweto que permitiram retirar mais de 6 toneladas de lixo deste bairro de lata. Para além dos alunos, também participaram nestas actividades os professores da escola e alguns residentes do bairro de lata. Os voluntários também têm vindo a organizar sessões de educação para a saúde e a higiene, formações em gestão de pequenos negócios para os alunos da escola secundária e actividades desportivas como voleibol.


  

Durante esta missão, foi possível perceber de uma forma bem clara que, apesar da seca ter acabado, os preços dos bens alimentares mantiveram-se muito elevados, continuando a ter assim consequências devastadoras nas populações dos bairros de lata de Nairobi, que em várias ocasiões nos pediram para tornarmos as distribuições de comida mais regulares. Também foi possível perceber a importância do Programa Alimentar Escolar, que é responsável pela única refeição diária da maioria das 550 crianças que abrange. Aqui estamos claramente perante uma questão de sobrevivência. Infelizmente, até agora, a ADDHU apenas conseguiu os fundos necessários para garantir a continuação deste programa até Julho de 2012...


  

No Wanalea Children’s Home, as crianças estão bem e sobretudo muito felizes: a ida para uma escola privada foi sem dúvida a principal razão para uma evolução tão positiva das crianças, tanto a nível académico como social, emocional e psicológico. Em Janeiro de 2012, foi-nos entregue o certificado final de registo do Centro, o que veio encerrar um longo e complicado processo, mas fundamental para este projecto.




A equipa da ADDHU gostaria de agradecer a todos aqueles que têm acompanhado e apoiado a nossa missão no Quénia, nomeadamente aos voluntários da ADDHU no Quénia e aos padrinhos das nossas crianças. Sem a vossa ajuda, nunca teríamos conseguido dar uma família e um futuro a estas crianças! Gostaríamos também de agradecer a todos aqueles que têm contribuído para o Programa Dádivas de Esperança e que têm ligado para o nosso número solidário – 760 300 130 – ajudando-nos a garantir uma refeição diária para as crianças do Soweto.




É certo que os tempos são de crise económica e que as dificuldades dela resultantes são transversais a todos nós. Porém, acreditamos que a crise de valores, em que infelizmente a nossa sociedade também está mergulhada, não seja igualmente um denominador comum a todos. É por acreditarmos que valores como o altruísmo e a solidariedade ainda não estão de todo perdidos, e por acreditarmos que todos juntos podemos fazer a diferença, que continuamos a contar com o vosso apoio para mudar as vidas daqueles que pouco ou nada têm.


  

Obrigada! Asante sana!